Artigo por Frei João Júnior – OFMCap.

110 of 79 items

267. “Pai, pequei contra o céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. Trata-me como a um dos teus empregados” (Lc 15,18-19).

por

A culpa destrói, o arrependimento reaviva; o remorso soterra; o arrependimento liberta. “Trata-me como um de teus empregados” é uma boa maneira de querer compensar o pai pelo prejuízo causado, pagar-lhe a dívida, deixar tudo “quitado”, sem necessidade de pedidos de perdão, de colocar-se com sinceridade diante dele, admitindo os…

263. Deus, porém, lhe disse: ‘Louco! Ainda nesta noite exigirão de ti a tua vida. E as coisas que ajuntaste, de quem serão?’ (Lc 12,20).

por

Sanidade verdadeira e curativa é a consciência dessa finitude, aceitada como convite  irrenunciável a viver com intensidade aquilo que, nos limites de nossa, torna a vida eterna, em cada instante de amor doado. Em vez de coisas ajuntadas, que o amor dividido seja nossa herança que permanece.…

260. Por isso, até o dia de hoje, quando leem as Escrituras, um véu lhes cobre o coração. Esse véu só será tirado quando se converterem ao Senhor. Ora, o Senhor é Espírito, e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade (2Cor 3,15-17).

por

O essencial não é versar-se nas Escrituras, manejando-as de maneira técnica. Sabê-las de cor ainda não é crer no mistério que elas portam, assim como deter a arca não significa acessar o…

258. Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco” (Jo 20,19).

por

O medo paralisa, tranca por dentro as portas do coração e da esperança. E, contra as portas trancadas pelo medo, não adiantam arrombamentos forçados. O único modo de reabrir os corações trancados pelo medo, pela indiferença ou pelo ressentimento é…

110. Doídas Palavras

por

Por que será que as palavras me doem? E saem de mim com tanta fúria, e se atiram com afiada precisão que eu mesmo desconheço? Por que será que elas me rasgam e me dilaceram e me expõem nu e aos meus pensamentos? Por que, depois de dizê-las, me envergonho de tê-las dito com tanta […]

187. Palavra-pão

por

Talvez seja mesmo verdade aquilo que diz Jesus: “Nem só de pão vive o homem” (Mt 4,4). Afinal, todos sabemos o quanto a vida se alimenta de mil outras coisas que não apenas a comida de todos os dias – por mais essencial que ela seja. Uma vida sem carinho torna-se, aos poucos, anêmica e…