Em tempos tão sombrios, de incertezas, angústias, opressão e violência principalmente com os menores e excluídos a esperança só pode estar em uma corda bamba. Titubeia. Cambaleia. Mas não cai! Nossa esperança vem do esperançar. É verbo, caminho, resistência, luta e arte.

Print Friendly, PDF & Email