Um dia álgido,
pouca luz.
Um ou dois goles de café amargo para aquecer a goela,
poesia para o coração.

O olhar distante em busca de luz…
O verde que brota na estremadura da janela,
diante dos olhos já é sinal de esperança e vida.
Mitiga a dor do existir.


Poesia anterior:      83. Águas

Próxima poesia:   85. Perder-me
Print Friendly, PDF & Email