Águas gélidas

Rasgando pedras,

Fazendo espelhos,

Formando piscinas,

Cascateando,

Serpenteando

Entre paredões.

Sonata suave,

Sinfonia com o vento,

Pra alma alento,

Pra vida a calma.

E pra gente sedenta

De um pouco de paz,

A força refaz,

Empurra a coragem,

E junto da aragem,

Restaura o corpo.

Mesmo o morto

Sai vivo de novo.

Águas gélidas aquecem.


Poesia anterior: 83. Amor anunciado
Próxima poesia:     84. Dia álgido

 

 

 

Print Friendly, PDF & Email