Bendita seja a vida,

que de tão bonita, não tem quem paga.

Bendita seja a vida,

que de tão sofrida, um dia se apaga!


Poesia anterior: 80. Saltar
Próxima poesia:  82. Janela do céu
Print Friendly, PDF & Email