algumas palavras existem para não dizer.
e eu não as digo.
respeito o estado que possuem de não serem ditas.
respeito a mística dos instantes de silêncio
que as prenuncia e as envolve depois,
porque não nasceram para serem ditas.
não é possível saber que palavras são essas.
mas eu sempre suspeito que elas ocorrem quando o ato
tem mais valor que a explicação,
quando a ação é mais forte que o verbo que as expressa,
quando o toque é o sentido último possível.
nesses momentos sentir é o que dá pra fazer,
porque dizer uma palavra apenas
é heresia pura e dura, que quebra o clima.
e o dito pelo não-dito implica em não dizer.


Poesia anterior:       78. Maria

Próxima poesia:      80. Saltar
Print Friendly, PDF & Email