tenho um fraco por palavras bem escritas, bem pronunciadas.
aprendi a ler, lendo vida de santo.
palavra de jornal não, isenta demais, fria demais. 
gosto do sentimento das letras,
de como elas choram, se emocionam, gritam.
palavra tem que fazer sentir,
tem que doer quando roça o céu da boca,
tem que dar tesão…

a palavra gera o mundo!
o meu começa pela boca.


Poesia anterior: 74. Grávido de palavras
Próxima poesia:      76. Presença eterna
Print Friendly, PDF & Email