De tanto te amar, prometi te querer sem te tocar.
Cuidarei do teu coração quando outro o ferir.
Ouvirei seus lamentos em dias tristes.
Te emprestarei meus braços
quando a solidão for presença em seus dias.
E jamais direi que te amo pois,
ainda que meu coração deseje o contrário, só posso te amar em silêncio!


Poesia anterior:     71. Rebeldia
Próxima poesia:    73. Redescoberta
Print Friendly, PDF & Email