Minha eterna volição
Humanizar-me…
Num mundo desumano
É ato de revelia…
Dar vida aos gestos
Pulsar em sentimentos
Silenciar
Amar até o fim
Sem fim!


Poesia anterior:      70. Destino
Próxima poesia:    72. Juras Secretas
Print Friendly, PDF & Email