Sobre um altar 
Em que não se exigem 
Sacrifícios
Subimos
E tocamos
O céu.

A liturgia dos abraços 
Não pede fumaças
Nem vestes distintas.

O amor não é dado 
A rubricas.


Poesia anterior:  66. Sobre perder
Próxima poesia:   68. Ciclos
Print Friendly, PDF & Email