Para todos eu queria,
Oferecer no fim do dia,
Um aceno de alegria,
Um gesto de cortesia.

Uma bênção, uma simpatia,
Uma prece, uma ave-maria,
Um poema. E quem diria?
Milton cantando “Travessia”.

Quem sabe amenizaria
A loucura dessa correria,
E a gente viveria,
Sem achar a vida vazia?


Poesia anterior:    43. Brasil despedaçado
Próxima poesia:   45. Amor subversivo
Print Friendly, PDF & Email