Com versos singelos,

De ternura e benquerença,

Falando de silêncio e saudade.

Tão pequenino, um quase nada.

Tão significativo, um quase tudo.

Tão de dentro, uma quase prece.

Tão bendito, uma quase bênção.

Tão expressivo, quase um poema!


Poesia anterior:     35. Andarilho
Print Friendly
Print this pageShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someoneShare on Tumblr0