Bastou você chegar para iluminar o espaço sombrio, o sótão do casarão.
Com a luz que entrou, pude enxergar melhor as quinquilharias que havia lá.

Filmes de rancor, as pedras da vingança, vinho amargo da desilusão,
Coração partido de paixão, sorriso de felicidade embrulhado, cartas guardadas.

Com a força da luz, criei coragem e deixei vazio o espaço, fazendo uma mudança radical:
Papel de parede, novos quadros com lindas molduras, bicicleta do lado da porta,
Aquele sofá lilás, com belo forro de seda, um cantinho especial para ler com prazer,
Os próprios versos que fiz!


Poesia anterior:    1. Exercício de impiedade
Próxima poesia:    3. Corpo nu
Print Friendly, PDF & Email