Se fosse apenas a preocupação com a propagação exponencial do vírus,
Se fosse apenas o receio de pegar o vírus e não resistir,
Se fosse apenas o medo de que os nossos sejam as próximas vítimas,
Se fosse apenas o fato de não ter medicação eficiente,
Se fosse apenas a certeza de não ter a curto prazo uma vacina,
Se fosse apenas a dúvida sobre a imunidade depois da contaminação,
Se fosse apenas o pavor de outra onda da pandemia,
Se fosse apenas o temor de não ter mais leitos disponíveis nos hospitais,
Se fosse apenas a notícia de que não tem respiradores disponíveis,
Se fosse apenas a fadiga dos profissionais de saúde,
Se fosse apenas a falta de EPIs para todos os profissionais do ramo,
Se fosse apenas o luto da perda e tantos queridos,
Se fosse apenas o impedimento de velar os mortos,
Se fosse apenas o sistema funerário superlotado,
Se fosse apenas o confinamento que impede de sair de casa,
Se fosse apenas a obrigação de usar máscara de proteção,
Se fosse apenas a lavação das mãos de minuto em minuto,
Se fosse apenas a tarefa de limpar com rigor superfícies de contato,
Se fosse apenas o TOC de higienizar qualquer produto que chega da rua,
Se fosse apenas a dor de ficar apartado de quem a gente ama,
Se fosse apenas a privação do abraço, do xodó, do afago,
Se fosse apenas a dureza do trabalho pelo sistema remoto,
Se fosse apenas o impedimento de ir ao cinema, aos shows ou receber em casa os amigos,
Se fosse apenas a instabilidade financeira,
Se fosse apenas o fechamento do comércio por alguns dias sou meses…


Mas não.
Ainda temos de aguentar um presidente estúpido e perverso,
Que participa de manifestações antidemocráticas,
Que recebe ditador no Planalto,
Que pressiona o Supremo tribunal,
Que faz churrasco quando ultrapassamos o número de dez mil mortos,
Que sai pelas ruas coçando nariz e apertando a mão de velhinhas,
Que se recusa a mostrar seus exames,
Que diz “e daí?”para as vítimas da doença,
Que diz que a economia está na UTI,
Que mexe e remexe na polícia federal,
Que protege sua prole e pressiona a polícia para não investigar seus crimes,
Que instrumentaliza a fé cristã para enganar os incautos.

E mais.
Ainda tem a corrupção que pega carona na crise,
Tem a compra de respiradores com valores superfaturados,
Tem países desviando os materiais hospitalares encomendados,
Tem a chegada de uma leva de respiradores com defeito,
Tem a secretária da educação cantando música da ditadura e dando showzinho,
Tem pastor reabrindo suas igrejas e colocando o povo em risco,
Tem o gabinete do ódio espalhando fake news,
Tem o congresso legislando na surdina a favor dos grandes,
Tem o presidente do congresso se negando a encaminhar os processos de impeachment,
Tem os acordos políticos para garantir as novas eleições,
Tem o silêncio de instâncias que poderiam ser a voz do povo,
Tem a internet dando voz aos imbecis,
Tem a subserviência de muitos líderes da nação,
Tem imbecis e perversos verde-amarelos na rua protestando contra a quarentena,
Tem madeireiros e garimpeiros devastando a floresta,
Tem a pandemia dizimando os povos originários, os pobres, os presidiários…


E ainda,
Tem esse frio de cortar os ossos,
Esses dias sombrios sem a luz do sol,
Esse vento gélido maltratando a gente,
As folhas das árvores caindo sobre o solo,
O ar seco que penetra as narinas.

 

É muito, ó Deus da vida!
Piedade de nós!
Piedade de nós!
Piedade de nós!


Prece anterior:  261. Chama-me com tua voz de pastor
Próximo para rezar:   263. Jo 14
Print Friendly, PDF & Email