Ó Deus, queima minha alma
o fogo da Amazônia.
Arde em minha pele
o calor da floresta.
Na consciência, as cinzas se espalham
e obscurecem meu pensamento.
Densas nuvens de fumaça me engasgam
e sufocou-se meu grito de socorro.
Dentro de minhas veias correm velozes os animais.
E os pássaros debandam alvoroçados
procurando abrigo seguro em meu coração.
Meus olhos veem fogo, cinza, pó, morte e dor.
Já não posso dizer como Francisco, Laudato Si.
Antes, com todos os brasileiros, mil vezes rezo: kyrie eleison.


Para rezar anterior:        252. Por Frei Tito
Próximo para rezar:   254. Reencantar-se
Print Friendly, PDF & Email