A chuva veio mansa,

acalentando a dureza do chão

e encorajando à fertilidade generosa.

O vento veio fresco,

acariciando as rugas do rosto

e convidando à ternura do sorriso.

A noite veio silente,

envolvendo de ternura os cansaços

e acalmando os anseios urgentes.


Poesia anterior:    23. Em algum lugar além
Próxima poesia:    26. A festa dos pães

 

Print Friendly
Print this pageShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someoneShare on Tumblr0