Meu bom Pai, tu que vês os pequenos,
dá ao corpo que suplica
um pouco de carne.
Dá a alma que lateja
a delícia de uma reza silenciosa.
Dá ao coração cansado
a leveza do amor correspondido.
Dá aos olhos gastos e chorosos
a beleza de ver o amado chegar.
Dá ao ouvido quase surdo
a doçura da voz mansa em cantigas de amor.
Dá à pessoa abatida
a chance de amar
e de recomeçar, sempre.

Amém(o-nos)!


Para rezar anterior:       178. Silêncio em prece
Próximo para rezar:     180. Presença que salva
Print Friendly
Print this pageShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someoneShare on Tumblr0