Sangram uma mulher indefesa,
Deus é mulher.
Assassinam uma criança brincando,
Deus é criança.

Violentam uma travesti,
Deus é travesti.
Cospem num gay,
Deus é gay.

Sufocam um negro até a morte,
Deus é negro.
Afinal, onde está o teu irmão,
Caim?

O sangue de teu irmão grita
Da Terra.


Poesia anterior:   162. Trincheira
Próxima poesia:   164. Apesar de você
Print Friendly, PDF & Email