Foi-se setembro

Empencado de flores

Repleto de amores

Sem pecado ou pudores

Chegou outubro

Com tardes cinzentas

Luas minguantes

Amores velantes

Silêncios cortantes

Despencaram-se as flores

Dissiparam-se os amores

Debandaram-se os pássaros

Apagaram-se os rastros

Declinaram-se os astros

Venha novembro

Com chuvas de esperança


Poesia anterior:    14. Ofício do amor
Próxima poesia:   16. Possibilidade Poética
Print Friendly, PDF & Email