O lavrador, que ao cavar em uma terra que não era sua, encontra um tesouro escondido em algum vaso de barro, volta para casa às pressas, sem ter dúvidas que sua hora chegou e que não pode desperdiçá-la. Então vai, vende tudo que tem e compra o terreno. Não é diferente da experiência de quem ama, que não mede esforços para caminhar em direção do amado. Com tudo aquilo que é e tem, só deseja, na inteireza de sua miséria, saborear e aprofundar-se no amor.


Versículo anterior:    152
Próximo versículo:    154
Print Friendly, PDF & Email