o amor bateu à porta
e convidei-o para entrar
e gastar o tempo
zeloso, desculpou-se
ofereceu o dom e se foi
deixou a sabedoria das palavras
a gentileza do gesto amigo
uma tarde mais clara de sol
não sei se voltará
mas já vive em mim
é uma presença inteira
é a memória do tempo
é a amizade antiga
recolhida em guarda-chuvas de saudades


Poesia anterior:    142.  Santa quarta feira
Print Friendly, PDF & Email