Ó Deus,

O que fazer com a dor que invade o peito

E com a tristeza que aperta o coração?

Como digerir a saudade de quem partiu sem se despedir,

sem dizer um único adeus?

Como rearrumar o quarto da vida depois de enterrar um amigo?

Cada palavra e cada gesto remetem a tempos de alegria,

a risos soltos, a parcerias, a fraternidades e a sonhos construídos outrora…

Cada objeto remexido faz reviver dores partilhadas,

momentos sombrios vividos juntos, pesos da vida que foram divididos…

Cada nota musical traz melancolia;

cada canção soa como lamento porque o amigo-canção partiu…

Como aceitar o mistério da dor e como conviver com a angústia do absurdo?

Como nutrir a esperança em meio ao caos de tantos sentimentos

que se multiplicam sem pedir licença?

Socorre-nos na dor, Senhor!

Salva-nos da melancolia, Jesus!

Faz soar uma canção de esperança em nosso coração

em homenagem àquele que tanto amamos…

E faz-nos recordar com a gratidão tudo de bom que vivemos juntos!

Graças, ó Deus, pelo amigo que partiu!


Para rezar anterior:      136. Tempos vindouros
Próximo para rezar:    138. Partiu o pão e me deu de comer
Print Friendly, PDF & Email