Tenho rezado,
Pedido,
Clamado.
De pé, sentado
Ou ajoelhado.
Entre lágrimas,
balbucios,
Suspiros.
Na manhã gelada,
Na tarde sem assobios,
Na noite constrangida.
Como a ovelha tangida,
Nua, trêmula.
Que nenhum pastor chama,
Que nenhum pastor busca.
Tenho clamado, pedido,
Rezado.
E hoje sentado, disperso
– que é quando a vida acontece!-
Eis que fui atendido:
A poesia veio me dizer
Segredos
Na janela.


Poesia anterior:        134. Advento
Print Friendly, PDF & Email