Quero fazer serenata
ao jardineiro que estava lá.
Quero dizer os versos
de uma alegre e forte cantiga.
Quero cantar com as flores,
com os pássaros, todos irmãos.
Quero renovar a certeza: já é ressurreição!
Quero com voz forte e vibrante
gritar no Jardim do Amor:

seu corpo… seu corpo???
Onde foi que o colocou?
E em versos de amor eterno
a resposta me chegou:
Sou Eu! O jardineiro da vida!
O que faz florescer com esplendor,
as mais belas cantigas entoadas
em louvor ao nosso amor!


Poesia anterior:    11. Ressurrecto
Próxima poesia:     13. Uma toalha, sua veste talar
Print Friendly, PDF & Email