Uma mesa escanteada

Fez confissões na noite

Grávida.

Contou-me segredos

De madeira e cupim.

A vida é o tempo

Talhado em formas

E Pretextos…

É a lua quem testemunha

Seu desfazer-se.


Poesia anterior:    118. Banquete logofágico
Próxima poesia:     120. Abraço
Print Friendly, PDF & Email