Senhor, dá-me sabedoria para caminhar sem pressa,
percebendo o mundo e os teus que nele estão.

 Direciona o meu olhar para ti, mesmo quando a dureza do caminho me turvar a visão e
por vezes me impedir de mirar longe.

 Ensina-me a suportar a aridez que resseca minha alma,
a fome que suga minhas forças, a sede e a solidão do deserto.

Segura as minhas frágeis e indigentes mãos que, de tão cansadas da lida,
parecem não produzir frutos e se abrem em oração invocando o teu auxilio.

 Guia-me por pelo difícil caminho em busca da fonte viva.

Fortalece-me na hora do medo e alarga o meu coração para reconhecer a tua presença.

Não permitas, Senhor, que a angústia e a estreiteza do coração
me impeçam de seguir adiante
e de contemplar a beleza do deserto onde se esconde o Poço.

Amém!


Para rezar anterior:   105. Colo de mãe
Próximo para rezar:  107. Na noite escura

 

Print Friendly, PDF & Email