Oia só que bilizura

No casebre pequenino 

O bom José e sua Maria, uai

No balaio, o Deus minino.

Tem jardim lá no terrero

Hortelã, rosa e jasmim.

Está tudo uma buniteza, uai

Nunca vimos coisa assim. 

Vejo rosas lá no pé

E Maria a lavorá 

Tô escutano o bom José, uai

Cantano cantiga de niná

Na cozinha, o fogão

E o fogo a trepidá

Amassa a broa o bom José, uai

Pra Maria agradá

O pão de queijo tá no forno

Exalano o seu chero

Na chegada do minino, uai

É abençoado o mundo intero

Preste todos atenção

Tem estrela de sinal

Vamos vê o Deus minino, uai

Hoje é dia de Natal

Nas montanha das Gerais

Mora José, bão companhero

Com Maria, a comadinha, uai

E com Jesus que é minero


Poesia anterior:     103. Missa de Natal – Comunhão
Próxima poesia:    105. Jogo do empurra
Print Friendly, PDF & Email