A Catequese Permanente é muito mais que uma coleção de livros, com encontros com teologia confiável e boa didática. A Coleção Catequese Permanente publicada pela Paulus é um subsídio que não brotou espontaneamente da cabeça de uma catequeta (Solange do Carmo) e de um padre (Pe Orione Silva). Ela é o resultado de muitos anos de trabalho pastoral e sua elaboração foi consequência de uma escuta atenta das necessidades de catequizandos, catequistas, famílias e comunidades eclesiais, que pediam um novo paradigma catequético, mais condizente com os tempos atuais.

Para se ter uma boa catequese, não basta melhorar os encontros, tornando-os mais lúdicos, dinâmicos ou mistagógicos. Isso é bom, mas é pouco. Um paradigma catequético se constrói sobre muitos pilares. Especialmente três são muito importantes para nós, que sonhamos uma Catequese Permanente e, nesse projeto, temos investido nossas forças. São eles: a didática do encontro, a teologia que os encontros comunicam e a organização paroquial da catequese.

Sobre a didática do encontro e sobre a teologia, temos escrito sempre nesse site. Sobre a didática já escrevemos 13 textos. Confira: http://fiquefirme.com.br/multimedia-category/sobre-a-didatica/. Sobre a teologia, escrevemos 25 e, uma vez por mês, publicamos novo texto. Confira: http://fiquefirme.com.br/multimedia-category/sobre-o-conteudo/. Agora é a vez de falarmos sobre a organização paroquial da catequese, dando pistas práticas do planejamento pastoral e da implantação desse novo modo de fazer catequese. Não adianta utilizar a coleção, sem entender o “espírito” dela, ou seja, há uma “filosofia” que subjaz esses manuais. Eles não são roteiros de preparação para primeira comunhão ou crisma como comumente costuma ser a catequese paroquial. A Catequese Permanente é uma evangelização pensada para toda a paróquia, por meio de encontros semanais de mais ou menos uma hora, que atinge crianças a partir de cinco anos, independentemente se ela já recebeu os sacramentos da iniciação cristã (batismo, crisma, eucaristia) ou não. A catequese permanente não organiza suas turmas a partir dos sacramentos que a criança ou jovem vai receber, mas a partir da idade (data de nascimento), da proximidade geográfica (endereço) e do módulo (cada módulo corresponde a um ano de catequese e a um livro da coleção) que ela já frequentou, independente do sacramento já recebido. Numa mesma turma, podemos ter crianças ou jovens batizados e não batizados, que já fizeram primeira comunhão ou não, que já foram crismados ou não. Não se assuste! Funciona muitíssimo bem. Esse modelo já foi testado e aprovado em paróquias e dioceses inteiras com muito sucesso. Quando chegar a ocasião de uma turma receber os sacramentos, o catequista saberá o que fazer com os que já receberam. Mas guardemos surpresa para a ocasião certa.

Certamente, a maioria dos catequistas – não tendo entendido bem a proposta da coleção (leia sobre a coleção em: http://fiquefirme.com.br/catequese-permanente/), usa os livros para preparar para os catequizandos para a recepção dos sacramentos, transformando-os em manuais com os quais já estão acostumados a trabalhar. Mas não é essa a ideia! O projeto Catequese Permanente não visa a preparar para os sacramentos, mas a criar um espaço de convivialidade numa paróquia catequizadora, proporcionando aos seus catequizandos a oportunidade de fazerem sua experiência cristã de Deus, ou seja, um encontro com Jesus Cristo para se tornarem seu discípulo e segui-lo. Ora, é claro que, ao longo do caminho, os sacramentos serão ministrados, pois somos católicos e os sacramentos são sinais muito importantes da nossa fé. Mas eles serão ministrados como um rito de passagem (por isso são chamados de sacramentos da iniciação: são sinais de passagem de uma etapa do caminho para outra etapa, marcando essa caminhada). Os sacramentos não são o fim do caminho, ao contrário são início de uma nossa fase que se abre, possibilitando ao catequizando reafirmar seu discipulado. Não basta, então, usar os livros da coleção. Há uma teologia catequética que norteia a coleção que precisa ser respeitada para que o trabalho seja diferenciado e dê seus frutos.

Como muitos amigos, padres, agentes de pastoral e catequistas, têm nos convidado a estar com eles em suas paróquias – não só na redondeza de BH, mas em todo o país – e é simplesmente impossível atender esses convites todos, achamos por bem criar essa coluna. Por meio dela, vamos tentar orientar o passo-a-passo da implantação da coleção Catequese Permanente. Vamos tentar postar toda semana um pequeno texto dando dicas do que fazer. Juntamente com textos, vamos oferecer ficha de inscrição, roteiro para encontros e celebrações com os pais, orientações acerca das inscrições, tabelas com as idades e os módulos correspondentes etc. Que Deus nos dê força nessa jornada!


Próximo organize:  2. Conscientizando a liderança
Print Friendly, PDF & Email