Bem-vindo ao fiquefirme.com.br, um site de assessoria teológico-pastoral que pode ajudar você a fazer com mais firmeza a sua caminhada de discípulo de Jesus.

Novos Artigos

166. Vejo-te

No rosto do outro te vejo, Senhor.
Pele vincada, sorriso estampado.
Olhos miúdos, testa franzida
Olhar que busca no horizonte a esperança e só…

31. A Igreja se metendo em política

O Brasil há alguns anos era desacreditado de política. Como votar é obrigatório, então não tinha como fugir. Eleger sem responsabilidade certos candidatos era um costume, porque política era desinteressante e nada iria mudar mesmo. Mas, de repente, começamos a falar bastante de política. O interesse cresceu, mas em meio a um bombardeio de informações que […]

88. A lentidão das mudanças

Matamos sete leões para conquistar uma agulha. Tanto esforço para resultados tão mínimos acaba desanimando a gente de continuar despendendo energias em outras lutas. A vida é mesmo pelejada, mas algum resultado do trabalho a gente quer ver para…

Publicidade

Poesia

O JARDINEIRO

(Evandro Bastos)

Quero fazer serenata
ao jardineiro que estava lá.
Quero dizer os versos
de uma alegre e forte cantiga.
Quero cantar com as flores,
com os pássaros, todos irmãos.
Quero renovar a certeza: já é ressurreição!
Quero com voz forte e vibrante gritar no Jardim do Amor:
seu corpo... seu corpo???
Onde foi que o colocou?
E em versos de amor eterno
a resposta me chegou:
Sou Eu! O jardineiro da vida!
O que faz florescer com esplendor,
as mais belas cantigas entoadas
em louvor ao nosso amor!

Eu creio sim

Publicidade

Fiquefirme no Facebook

Versículo Bíblico

“Por que procurais entre os mortos aquele que está vivo?” (Lc 24, 5).

Os discípulos custaram a compreender o que de fato havia acontecido com o Mestre. Nas primeiras horas do dia, antes mesmo que o sol tivesse despontado, o amor que faz caminhar levou Maria Madalena ao sepulcro. Chegando lá, uma grande surpresa: o Senhor não estava onde o deixaram. É preciso ter olhos novos para enxergar o Ressuscitado. Não o busquemos com olhos exteriores apenas, mas com os olhos do coração, que enxergam ainda que seja noite e mantém aquecido o interior, ainda que lá fora o frio seja tremendo. Não o procuremos fora; a presença do Mestre ressoa dentro de nós.